quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

Títulos, golaço e rebeldia: Ganso costuma brilhar no Pacaembu

Meia tem história para contar em partidas realizadas no estádio Paulo Machado de Carvalho, palco da decisiva partida desta quarta-feira, contra o César Vallejo. VÍDEO:
video
O São Paulo definirá seu futuro na Taça Libertadores, nesta quarta, às 21h45 (horário de Brasília) jogando diante do César Vallejo no Pacaembu, pois o Morumbi passa por reforma no gramado. O local é dos palcos preferidos do meia Ganso, que tem sido o principal destaque da equipe neste começo de temporada. Foi no tradicional estádio paulistano que aconteceram alguns fatos marcantes da carreira do camisa 10.

O de maior repercussão foi registrado no dia 2 de maio de 2010, na decisão do Campeonato Paulista entre Santos e Santo André. Na ocasião, o time do ABC vencia a partida por 3 a 2 e tinha dois jogadores a mais, já que Léo e Roberto Brum haviam sido expulsos. Dorival Júnior resolveu reforçar a defesa com a entrada de Bruno Aguiar e escolheu Ganso para sair. Só que o meia se recusou a deixar o campo (assista no vídeo acima). Sem alternativa, o treinador acabou mudando de ideia e tirou o atacante André. Com a derrota por apenas um gol, a equipe ficou com o título.

– Acho que esse é o fato mais importante, aquele que ficou marcado. Sem dúvida, é a maior recordação que eu tenho do estádio do Pacaembu – afirmou o meio-campista, que concedeu entrevista coletiva após o treino realizado na última terça-feira.

Ainda com a camisa do Santos, Ganso sentiu novamente o gostinho de ser campeão, desta vez da Taça Libertadores da América. Foi em 2011, após uma vitória por 2 a 1 em cima do Peñarol, do Uruguai. O jogador também gosta de lembrar de uma vitória sobre o Corinthians, jogando pelo São Paulo, em 2014. O Tricolor venceu por 3 a 2 e ele marcou um golaço em chute de fora da área

Ganso explica por que gosta tanto de atuar no estádio do Pacaembu.

– O campo é menor, o que ajuda muito. Além disso, o gramado é excelente e a grama é curta, o que torna o jogo mais rápido – disse.

Ganso começou a temporada com uma postura diferente. Está mais participativo em campo, chamando a responsabilidade. Contra o RB Brasil, marcou um gol de cabeça. No jogo contra o César Vallejo, no Peru, fez várias jogadas e foi elogiado até pelos torcedores peruanos. No primeiro tempo, quase marcou um golaço, mas o chute de pé esquerdo acertou o travessão. Na segunda etapa, foi dele o ótimo lançamento para Calleri marcar o gol de empate.

A diretoria está atenta ao bom momento do camisa 10. Tanto que já procurou o empresário do atleta e manifestou interesse em antecipar a renovação do contrato que termina em setembro de 2017. Para manter Ganso, vale até pagar mais do que o teto salarial, segundo o presidente Carlos Augusto de Barros e Silva. Para tirá-lo do Morumbi agora, somente uma proposta de 25 milhões de euros (R$ 110 milhões). Vale lembrar que a equipe do Morumbi tem direito a 32% dos direitos. Os outros 68% pertencem ao grupo DIS.
Ganso vem sendo destaque um dos destaques do Tricolor neste início de ano.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente aqui