sábado, 6 de fevereiro de 2016

Mergulho Radical tem estreia das mulheres no Brasil e "rap" do Escobar

Ginger Huber, a brasileira Jacq Valente e Lysanne Richard disputam o título da competição feminina. Evento será exibido durante Esporte Espetacular, no domingo.
video
Os registros dizem que o high diving nasceu na Grécia antiga e que os praticantes pulavam de penhascos e formações rochosas apenas por diversão. Mas o que era uma brincadeira no passado, evoluiu, ganhou regras e é disputada em campeonatos mundiais de esportes aquáticos. Nessa modalidade, os mergulhadores se arriscam e saltam de plataformas de 27 metros de altura, que se misturam com as paisagens naturais de praias e rochas. Nos saltos ornamentais, esporte olímpico bem semelhante, a altura não ultrapassa os 10m. Neste domingo, em São José da Barra, Minas Gerais, seis atletas corajosos - três homens e três mulheres -, brigam pelo título do Mergulho Radical, competição faz parte do Verão Espetacular e terá exibição durante o Esporte Espetacular. Para conhecer um pouco mais dos participantes, o apresentador da TV Globo Alex Escobar usou toda sua criatividade e fez um rap apresentando cada um deles. (Confira no vídeo acima)

Mulheres estreiam no Mergulho Radical

Na edição deste ano, uma novidade: estreia das mulheres. Essa será a primeira vez que uma competição feminina acontece no Brasil. O formato do Mergulho Radical será igual para as competições masculina e feminina. Cada salto vale uma nota, os homens têm direito a duas tentativas e as mulheres podem saltar três vezes. Aqueles que somarem as maiores notas na disputa feminina e no masculina levam o troféu para casa. 

- Quando eu comecei no high diving, era mais ou menos 1994. Tinham umas mulheres, acho que eram uns 20 anos mais velhas que eu. Elas faziam exibição, mas não competiam de verdade. Lembro de uma mulher que era casada com um high diver e ela pediu para saltar, ela dizia que não precisava ser paga, apenas que a deixassem saltar, e nós conseguimos espaço. É muito legal ver como estamos hoje. Era algo que sempre desejamos, sempre buscamos - contou Ginger Huber. 

Primeiro colocado no ano passado, o inglês Gary Hunt chega para defender o título e impedir o mexicano Jonathan Paredes e o brasileiro Jucelino Alves de arrancarem seu posto de campeão. No time feminino a grande estrela é Ginger Huber. A americana é vice-campeã do circuito mundial, tem 41 anos e é a atleta mais velha do mergulho radical. O desafio vai ser grande para Jacqueline Valente, única brasileira do mundo profissional no esporte que além da americana, também vai enfrentar a canadense Lysanne Richard. 

- Quando eu tive uma lesão no início de 2015, eu fiquei mais forte, mas menos condicionado. Para o salto de 27 metros, você precisa estar forte. Você tem um segundo para esquecer que pode ficar lesionado, senão pode ficar lesionado para toda a vida - comentou o brasileiro Jucelino. 
Edição de 2016 do Mergulho Radical acontece em Barra de São José, em Minas Gerais

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente aqui